Auxílio Emergencial: Governo propõe prorrogar com valor reduzido – Congresso discorda

O governo optou por estender o Auxílio Emergencial por mais dois meses, ainda sem divulgar os novos valores, em função do impacto da crise. O benefício é pago a autônomos e trabalhadores informais, e hoje segue fixado em R$ 600. Em uma coletiva de imprensa na manhã desta quinta (04), o Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), cobrou um posicionamento do governo em relação a prorrogação dos pagamentos, para que assim seja feito um debate transparente acerca do assunto.

A princípio, a proposta terá que ser enviada ao Congresso, uma vez que o valor e o período do benefício federal estão estipulados em lei, que foi sancionada no começo de abril desde ano. O presidente Jair Bolsonaro já havia discutido com Paulo Guedes, ministro da Economia, sobre a ampliação dos repasses, porém o novo valor ainda não foi oficializado.

Auxílio emergencial prorrogado

Maia diz que, segundo os deputados, a ideia é continuar com o valor atual (R$ 600), por mais duas ou três parcelas. Embora o impacto econômico seja grande, o presidente da Câmara dos Deputados destacou que “todos têm o mesmo objetivo, que é garantir a renda mínima para milhões de brasileiros que perderam, da noite para o dia, capacidade de sustentar as famílias”.

De acordo com informações do Tesouro Nacional, a estimativa de gastos com os beneficiários do programa é de R$ 152,64 bilhões. Até o momento, foram desembolsados através do governo R$ 76,86 bilhões, levando em conta que a terceira parcela ainda começará a ser paga. O Auxílio Emergencial é a maior despesa da União para diminuir os efeitos causados pela pandemia.

auxílio emergencial prorrogação

Fontes do Governo, especificamente do Ministério da Cidadania, afirmam que a ideia é apresentar um plano de redução para os próximos meses, sancionando uma quarta parcela de R$ 300 e posteriormente uma quinta parcela de valor igual. Outras possibilidades são de uma quarta parcela de R$ 400 e a quinta de R$ 200, além de um projeto paralelo de 3 parcelas adicionais de R$ 200.