Brasil aparece atrás de grandes economias em ranking de inflação; Confira melhora

0

Compilado pela Bloomberg, o ranking conta com 23 países de grande economia. No levantamento anterior do ranking de inflação, realizado em agosto, o Brasil ocupava a quarta colocação. Confira os fatores que explicam a melhora brasileira.

A inflação oficial do Brasil, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), no acumulado em 12 meses até agosto, registrou um aumento de 8,73%.

O país com a maior inflação na lista é a Turquia, com variação de 80,2%, seguido da Argentina (69,2%) e Rússia (14,3%). Acima do Brasil, outras grandes economias aparecem, como o Reino Unido (9,9%), Itália (9,1%) e Alemanha (8,8%).

Melhora do Brasil no ranking de inflação

Uma das razões que explicam a melhora brasileira no ranking é a desaceleração do IPCA. Mesmo com a inflação acumulada alta, ficou abaixo do registrado no mês anterior, de 10,07%. Em julho, houve variação negativa de 0,68%. Esta foi a menor taxa da série histórica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em agosto, o país registrou uma deflação de 0,36%. O resultado, segundo especialistas, foi influenciado principalmente pela queda nos preços dos combustíveis. Em junho, o presidente Jair Bolsonaro sancionou uma medida que limita a alíquota do imposto sobre itens como gasolina e diesel.

Além disso, outros fatores, segundo especialistas consultados pela Bloomberg, foram: a atuação do Banco Central, que passou a aumentar a taxa básica de juros, e o crescimento da inflação em grandes países da Europa. A Zona do Euro registrou aumento de 9,1% na inflação, o maior indicador desde 1999, quando surgiu o euro.