Dicas para pessoas que darão entrada no benefício do INSS neste ano, veja como não ter se benefício negado

0

Especialistas em direito previdenciário dão dicas para os segurados do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) aumentarem as chances de ter o benefício aprovado pelo órgão. Com o mutirão que o governo irá promover para agilizar os processos no INSS, é importante que o aposentado e pensionista fiquem atentos aos erros mais comuns para não perder a chance de ter o benefício negado.

Principais problemas que causam a negativa do INSS

O jornal Extra conversou com especialistas da área do direito previdenciário e, segundo eles, o principal problema que leva à negativa do INSS é a falta da Classificação Internacional de Doença (CID) nos documentos apresentados pelo segurado. Além disso, exames, laudos antigos e carimbo do médico borrado também fazem parte dos erros mais comuns. 

A advogada Monique Maia, do escritório Ferreira & Sousa Advogados Associados, ao jornal Extra recomenda que o segurado leve somente o necessário “Levar documentos, como atestados, relatórios médicos e de fisioterapia ou outros tratamentos atualizados, e organizar a documentação em ordem cronológica são dois pontos a serem observados. Leve somente o que for relevante. A documentação antiga serve apenas se for para comprovar o início da comorbidade.”

A advogada ainda ressalta a importância de chegar com antecedência ao atendimento e manter uma postura condizente com a comodidade que o segurado apresenta nos laudos e exames médicos.

Filas de espera para perícia e agendamento

Segundo o Ministério do Trabalho e Previdência, mais de 1 milhão de segurados do  Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) aguardam agendamento de perícia médica. Além do agendamento, a espera para conseguir um atendimento também tem sido longa e está com cerca de 60 dias.

Pensando nisso, o governo anunciou que vai promover mutirões para agilizar os processos no INSS. Entre os serviços, os mutirões vão realizar exames médicos, fazer tele perícias e retomar a liberação de auxílio-doença apenas com a análise de documentos.