Inflação em alta define um Dragão como “mascote” de anuncio para aumento de 1,700% nos valores

0

A figura mitológica do Dragão foi escolhida para simbolizar a inflação em alta na década de 80. Segundo o economista e professor do Ibmec RJ, Gilberto Braga, o dragão da inflação representa a “Queima do poder de compra” que a alta da inflação causa no bolso dos brasileiros.

Índices inflacionários da década de 80

Na década de 80 o país vivia o auge da inflação. Os números eram assustadores. No ano de 1980, ela chegou a acumular em um ano 110,24%, chegando a 39.043.765% acumulada até 1989. Por isso, naquela época a figura do dragão foi associada à alta da inflação.

Tanto que o animal mitológico chegou a estampar a capa do jornal “O Globo” em 1986 e também foi utilizado em propagandas de seguro do banco Itaú.

propaganda de seguro na época

Preços subindo todos os meses

Naquele período o país passava por um período de descontrole financeiro, endividamento externo elevado e crescimento baixo do país, disse o economista ao UOL. 

“Os produtos chegavam a dobrar de preço no intervalo de 30 dias. Era uma inflação de 100% ao mês. Quando o trabalhador recebia o salário, ele não tinha noção do poder aquisitivo, e isso fazia com que as pessoas partissem para os mercados para comprar alimentos. Esse cenário culminou em 1986, no Plano Cruzado, no governo de José Sarney. O plano tinha como ferramenta o congelamento de preços [para controlar a inflação], mas não deu certo. Os produtos desapareceram das prateleiras. O plano se perdeu, e vieram outros -boa parte deles tinha como característica a troca de moedas”, afirmou Braga ao UOL. 

Na tentativa de frear a inflação, foram criados sete planos econômicos entre os anos de 1986 e 1994, ano que foi criado o Plano Real. Após a implementação do Real, o governo conseguiu controlar a inflação após anos de descontrole.