Manifestações contra aumento no valor do transporte crescem em SP

Alguns dias antes do prefeito Fernando Haddad (PT) e do governador Geraldo Alckmin (PSDB), anunciarem o aumento nas passagens de ônibus e Metrô, estudantes e entidades de classe já protestavam contra os novos valores das tarifas, que assim como os trens da CPTM, chegaram aos R$ 3,20. No final da madrugada desta segunda-feira, 3, de acordo com informações e fotos publicadas no Facebook do Movimento Passe Livre, principal articulador contra o aumento, moradores do Fundão da Sul, fecharam por alguns minutos a Avenida M´Boi Mirim, no Jardim Ângela, zona Sul. Com fogo em pneus, e pessoas na via portando faixas, com os dizeres, “R$ 3,20 é roubo”, a policia militar foi chamada para controlar o trânsito na região, uma das mais movimentadas do extremo sul e com crítico tráfego de mobilidade. Esse foi o terceiro protesto dos coletivos que compõe movimentos pela melhoria na qualidade dos transportes e preços mais baixos. O primeiro encontro foi no Terminal Pirituba, na zona Oeste, em 27 de maio. Na dia seguinte, 28, estudantes fecharam uma parte do Viaduto Rangel Pestana e chagaram a ocupar por alguns instantes o Terminal Parque Dom Pedro II, no Centro. Ainda segundo a página do Movimento Passe Livre, um novo encontro deve acontecer na tarde desta terça-feira, 4, desta vez na Vila Leopoldina, na zona Oeste.

A reportagem do Infodiretas, acompanhou a saga de um passageiro na volta para a casa, que na tarde da última sexta-feira, 31, teve de esperar por mais de 1h15, um ônibus para chegar até sua residência na zona Sul.

https://infodiretas.com/noticias/as-vesperas-do-aumento-passageiro-espera-por-1h15-onibus-na-zona-sul/