Caso João Alberto: publicado edital de R$ 68 milhões para concessão de bolsas a estudantes negros

0

Após a agressão feita por um segurança do Carrefour que vitimou João Alberto Silveira de Freitas foi publicado, nessa quinta-feira (4), um edital informando a disponibilidade de R$68 milhões em bolsas de estudos para pessoas negras. 

O edital, elaborado a partir do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), prevê que sejam concedidas bolsas de estudos e permanência nos cursos de graduação e pós-graduação. O documento foi assinado pela Defensoria Pública do RS, Ministério Público Federal, Ministério Público do RS, Ministério Público do Trabalho, Defensoria Pública da União e pelo próprio Carrefour. 

As bolsas serão oportunidades para cursos de graduação, mestrado e doutorado nas instituições de ensino superior públicas e privadas que possuam interesse. O Carrefour destinará R$68 milhões na ação, sendo R$20 milhões para a graduação, R$30 milhões para mestrado e R$10 milhões para doutorado, além de R$ 8 milhões para especialização. Segundo o edital, as bolsas devem ser conferidas para áreas onde haja baixa representatividade negra. 

Segundo disposto no TAC, 30% do valor deve ser distribuído aos cursos de graduação e pós-graduação em instituições no Rio Grande do Sul, devido à tragédia ter ocorrido em Porto Alegre. Outros R$47 milhões devem ser destinados para ações de combate e enfrentamento ao racismo. 

É possível conferir o documento diretamente no site do Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe).

João Alberto foi espancado até a morte por seguranças do mercado localizado na Zona Norte de Porto Alegre. A vítima tinha 40 anos e foi morta no dia 19 de novembro de 2020, um dia antes do Dia da Consciência Negra. Um vídeo flagrou o momento em que o crime foi cometido, comprovando o exagero da abordagem e agressões feitas contra a vítima. Os seguranças envolvidos no crime e outros acusados de terem mantido o público e a família da vítima isolados e sem poderem auxiliar João Alberto foram indiciados.