Número de pessoas em extrema pobreza triplica na Região Metropolitana de Porto Alegre

0

O número de pessoas vivendo em situação de extrema pobreza é três vezes maior que o registrado até então na Região Metropolitana de Porto Alegre.

De acordo com o Boletim Desigualdades das Metrópoles, pesquisa feita em parceria com a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Observatório das Metrópoles e  Rede de Observatórios da Dívida Social na América Latina, o número anteriormente registrado era de 44,6 mil pessoas que ganhavam R$160 por mês em 2013. Com um crescimento populacional de 4,6%, a fração que vive em extrema pobreza cresceu 225%, um aumento grande. 

Segundo o coordenador do estudo, Andre Salata, o índice de extrema pobreza na Região Metropolitana era de 2% em 2019, ano anterior à pandemia. Já em 2021 foi registrado um aumento considerável, com 3,4%. De acordo com estes dados, mais de 60 mil pessoas passaram para a linha da extrema pobreza durante a pandemia. 

O período pandêmico é considerado o principal fator da alta dos números, principalmente levando-se em conta que os mais pobres sentiram de forma imediata a perda de renda, explicando a situação atual. 

Ainda que a atual época se caracteriza pela retomada econômica e volta do mercado de trabalho, as oportunidades de emprego para os mais pobres ainda pagam mal os contratados. O especialista acredita que a principal saída para este cenário é a criação de vagas no setor formal, onde os trabalhadores teriam um salário melhor e direitos.

Enquanto as oportunidades não aparecem no mercado, a população pode auxiliar as famílias carentes com doações. Os atos de solidariedade marcaram presença durante o auge da pandemia, porém tiveram grande queda recentemente. Segundo dados do Banco de Alimentos, organização que atende entidades no Rio Grande do Sul, as doações tiveram uma queda de 60% nos últimos meses.

Neste sábado (6), supermercados gaúchos receberão doações de alimentos para o banco. Os estabelecimentos ficam localizados nos municípios de Alegrete, Alvorada, Cachoeirinha, Camaquã, Canoas, Caxias do Sul, Capão da Canoa, Cruz Alta, Gravataí, Guaíba, Porto Alegre, Santa Maria, Tramandaí, Torres, Venâncio Aires e Viamão.