Censo 2022 visitará 4 milhões de domicílios no RS; Saiba se você é obrigado a responder

0

Os recenseadores do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) iniciaram na segunda-feira (1º) a coleta domiciliar do Censo Demográfico 2022. Ao todo, 11 mil recenseadores trabalham para o IBGE no estado. São dois questionários, um mais simples e rápido, e outro de até 25 minutos.

No Rio Grande do Sul, 11 mil recenseadores devem visitar 4 milhões de domicílios. O Censo foi lançado no Largo Glênio Peres, no Centro Histórico de Porto Alegre. Programado para acontecer em 2020, o Censo está sendo realizado com dois anos de atraso em razão da pandemia do coronavírus e de cortes orçamentários.

Nesta edição, o censo é composto por dois questionários, um básico, com 26 questões e outro maior, com 77. De acordo com a Lei nº 5.534, de 14 de novembro de 1968, e com o Decreto nº 73.177, de 20 de novembro de 1973, todas as pessoas físicas ou jurídicas, de direito público ou privado, são obrigadas a prestar as informações solicitadas pelo IBGE. Para quem não responder à pesquisa, a legislação determina multa de até dez vezes o maior salário-mínimo vigente no país.

A lei também assegura o sigilo das informações prestadas. Elas serão utilizadas exclusivamente para fins estatísticos. Na visita, a pessoa pode optar por responder o Censo depois, via internet. Dados preliminares começam a ser divulgados entre novembro e dezembro deste ano.

O órgão reforça o alerta para a segurança. Os recenseadores vão estar uniformizados e com crachá. O cidadão poderá consultar as informações sobre os agentes censitários na página do IBGE.

“No crachá do recenseador, que vai estar sempre no colete do IBGE, tem um QR code. Basta apontar a câmera do celular para esse QR code que vai redirecionar para um site”, diz Luís Eduardo Puchalski, coordenador operacional do Censo no RS.