Casal perde todo o dinheiro em golpe de uma falsa agência de viagem

0

Eles perderam R$ 30 mil através de uma falsa agência de viagem, que prometia trazer os filhos do Haiti ao RS. A mãe diz não ter mais forças para juntar o valor novamente.

Há cerca de nove anos, Jean Lexume Joseph (45) saiu do Haiti em busca de melhores condições de vida e encontrou no Vale do Taquari, uma forma de sustentar a família. Três anos depois, sua esposa também se mudou para a região e, desde então, eles residem em Estrela, trabalham em Lajeado e juntam dinheiro para trazer os quatro filhos que permaneceram no Haiti. Porém, todo o esforço e economia foram perdidos em um golpe.

O primo de Joseph iniciou conversas com uma falsa agência de viagens através do Facebook para trazer os filhos do casal do Haiti e mais um familiar, sendo que pagaria R$ 6 mil por cada pessoa, totalizando R$ 30 mil.

Conforme o primo, tratava-se de uma agência de Curitiba que realmente existe, mas os golpistas criaram um outro perfil, com todas as informações da empresa, para então aplicar o golpe. “Durante duas semanas mandou mensagem no Messenger e depois de conversar com nós disse pra mandar foto do documento para ver se o nome dos filhos estava aprovado”, conta.

Depois disso, marcaram a viagem para o dia 2 de julho. Os adolescentes foram avisados, fizeram as malas e ficaram esperando o deslocamento para o Brasil, porém, nada aconteceu. “Ele bloqueou nós, até agora não conversou mais, e a agência entrou em contato dizendo que não eram eles que estavam falando e sim ladrões que estavam roubando dinheiro na internet e que mais pessoas também haviam perdido o dinheiro”, relata.

A mãe dos adolescentes, Wikline Lexume Joseph, só tem contato com eles por mensagens e ligações. Após cair no golpe, Wikline conta que ficou desanimada e sem forças para juntar o valor novamente. “Eu tenho muita dor na cabeça, muito problema, não tenho mais nada, como eu faço, vou trabalhar de novo? Perdi R$ 30 mil, é muito, muito difícil”.

Diz também que os filhos estão com a avó paterna, que já é bastante idosa, e não tem mais condições de cuidar deles: “Eu choro muito, é muita dor, tenho muita saudade dos filhos, eles dizem que tem saudade da mãe que mora longe”, relata. Além disso, perguntam como ela vai trabalhar de novo para juntar o valor e trazer eles ao Brasil.