Empréstimo consignado: O que é? Vale a pena em 2022?

0

O empréstimo consignado do INSS é uma das principais modalidades de crédito do país. Este método possui uma das taxas de juros mais baixas do mercado.

O parcelamento é descontado diretamente no valor dos salários ou benefícios do INSS. Saiba mais sobre esta oferta de crédito.

Saiba mais sobre empréstimo consignado e se vale a pena contratar em 2022.

O que é empréstimo consignado?

O empréstimo consignado é uma modalidade de crédito destinada aos aposentados e pensionistas do INSS. Além disso, está disponível para militares das Forças Armadas, trabalhadores CLT de empresas privadas e funcionários públicos.

No momento do requerimento deste empréstimo, a instituição credora descontará diretamente o parcelamento dos benefícios do INSS ou da folha de pagamento. Portanto, benefícios ou salários podem ser usados ​​como garantia de que o credor receberá o valor fornecido.

Por causa dessa previsibilidade de pagamento, as taxas de juros são mais baixas do que muitas formas no mercado. De acordo com os padrões das instituições financeiras, pessoas passivas também podem assinar empréstimos salariais.

Normalmente, o depósito do empréstimo confiável é de 35% do salário total da pessoa.

No entanto, em decorrência da Lei nº 14.131 / 2021, a margem de lucro da consignação para servidores públicos e não funcionários, militares, aposentados e pensionistas do INSS aumentou para 40% ao final deste ano. No ano que vem, a margem de lucro voltará a atingir 35%.

Qual é a taxa de juros do empréstimo salarial do INSS?

As taxas específicas variam de acordo com a instituição de crédito. Em qualquer caso, de acordo com o regulamento do Ministério da Economia, a mensalidade máxima da folha de pagamento é de 1,80% e a do cartão de crédito de 2,70%.

É importante destacar que essa taxa de juros já inclui todos os custos operacionais com empréstimos pessoais e cartões de crédito.

As instituições financeiras podem cobrar algumas taxas adicionais, como taxas de abertura de conta, taxas de registro, taxas de seguro, etc. Essas despesas fazem parte do valor total que deve ser pago ao final do empréstimo.

Portanto, antes de assinar o contrato, certifique-se de ler atentamente o contrato da instituição financeira correspondente para entender o valor exato do empréstimo.