Mais de 15 policiais são afastados da Brigada Militar neste mês; Entenda o caso

0

Mais seis policiais foram afastados da Brigada Militar pela investigação do caso Rai Duares. Com isto, passa de 15 o número de agentes afastados da corporação sob suspeita de terem agredido um torcedor do Brasil de Pelotas em Porto Alegre.

O novo afastamento dos policiais foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) dessa quinta-feira (22). 

No dia 2 de setembro, 10 agentes foram indiciados por tortura e lesão corporal. Outro policial deve responder por tentativa de homicídio. 

Os agentes foram afastados para que, segundo a Corregedoria-geral da BM, fiquem à disposição para as oitivas relacionadas ao caso. 

O que é o caso Rai Duarte? 

No dia 1º de maio deste ano, Rai Duarte, agente de saúde de Pelotas, foi a Porto Alegre para acompanhar a partida do time pelo qual torce, o Grêmio Esportivo Brasil. O time jogou contra o São José no Estádio Passo D’Areia, em Porto Alegre.

Após o fim do jogo, uma confusão entre torcedores das duas equipes causou tumulto no estádio. 

No lado de fora, Rai já estava dentro do ônibus para ir embora quando foi retirado do veículo pela BM. O ato foi flagrado por imagens feitas por passageiros. 

Segundo testemunhas, o agente de saúde foi torturado pela polícia após ser retirado do ônibus. Os relatos dão conta de que era possível ouvir sons de espancamento e ameaças por parte da Brigada. “Eles pegaram o Rai e levaram para um canto que ninguém estava enxergando. Dava para escutar muito barulho de pancada, de soco, ele gritando, tava agonizando”, disse um torcedor que estava no local. 

Após sofrer as agressões, o torcedor Xavante foi internado no mesmo dia com um corte no abdômen que afetou seu intestino. A vítima passou 47 dias internada na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital Cristo Redentor em coma induzido. 

Rai deixou o hospital no dia 24 de agosto, após 116 dias.