Satélite deve passar por Porto Alegre em setembro antes de ser lançado ao espaço

0

O satélite Templo Orbital, criado pelo artista e tecnologista paulista Edson Pavoni, irá para o espaço em fevereiro de 2023, mas antes será possível conferir a obra em Porto Alegre

Durante a 13ª Bienal do Mercosul, realizada de 15 de setembro a 20 de novembro, a obra do artista paulista ficará exposta próximo ao Farol Santander. 

O satélite conta com um QR Code onde o público pode colocar os nomes de seres falecidos, humanos ou não-humanos, para que façam essa viagem espacial. O objeto, que pesa aproximadamente 245 gramas, será lançado em fevereiro de 2023 pelo foguete Falcoon9 da empresa SpaceX. A obra deve orbitar o planeta por cerca de 10 anos. 

Com 5 cm x 5 cm x 30 cm, o satélite foi construído em PCBs, componentes eletrônicos e luz de LED. Sua antena possui 120 cm de diâmetro e aproximadamente 2 cm de altura, pesando 5 kg. 

A obra foi selecionada pelo Lumen Prize 2022 – Futures Award e venceu o Prêmio CubeDesign 2021 promovido pelo Instituto Nacional de Pesquisa Espacial (INPE) na categoria ArtSat. 

Satélite levará nomes para viagem ao espaço

O QR Code implementado no objeto fará com que bilhões de nomes possam orbitar a Terra durante a década em que o satélite estará no espaço. Pavoni explica que a ideia era criar um templo que questionasse a colonização do céu como paraíso e as crenças que moldam os dias. “Pode não ser algo constante na mente, mas as nossas crenças sobre o que acontece após a morte moldam o nosso dia a dia. Essas crenças estão na nossa cultura e até nas nossas leis. E se a nossa ideia em comum de paraíso fosse radicalmente mais inclusiva? Quão diferente seria a vida na Terra?“, explicou o artista. 

A antena que fará a comunicação com o satélite também é uma escultura de larga escala que poderá ser instalada em qualquer lugar do mundo.