Multa para empresas envolvidas em chamadas que desligam na cara faz prática reduzir pela metade

0

Certamente você já recebeu uma ligação de um número desconhecido que ao atender desligou logo em seguida. As chamadas robocalls, chamadas realizadas por robôs, estão sendo alvo de políticas da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). 

Após uma série de medidas, a entidade comunicou que o número destas chamadas curtas feitas por robôs foi de 4,08 bilhões por semana para 2,31 bilhões. 

No dia 12 de junho deste ano, a Anatel determinou o bloqueio das chamadas automatizadas que desligam na cara. Uma medida cautelar estabelecia que as empresas que fizessem mais de 100 mil chamadas por dia com duração inferior a três segundos teriam os seus serviços suspensos.
A multa prevista para as operadoras e empresas de telemarketing é de até R$ 50 milhões. 

Confira a mudança provocada pelas medidas da Anatel.

Desde a validade da liminar, 261 usuários já foram bloqueados. De acordo com Emmanoel Campelo, conselheiro da Anatel, o maior descumprimento das regras parte do setor financeiro

Anatel cria medidas contra robocalls 

A agência nacional determinou que as operadoras enviem uma lista com usuários que efetuaram mais de 100 mil ligações em um único dia, levando em conta o período de 30 dias após a medida. 

Se a empresa foi bloqueada, ela não poderá ativar seus novos números durante 15 dias. Caso a operadora libere a ação todos os envolvidos podem receber a multa de R$ 50 milhões. 

Como funcionam as robocalls? 

Para as companhias que utilizam o recurso, as robocalls servem como uma prova de vida. Se o cliente atender a chamada, o sistema reconhecerá que o número em questão costuma aceitas as chamadas do tipo, com números desconhecidos. Desta forma, ele se prova um cliente em potencial para os serviços de telemarketing ativo.